Um artigo recente publicado no Search Engine Land discute se o tamanho do título seo melhora ou não a classificação no Google SERPS. Este artigo oferece uma visão muito interessante de como o Google pode “ajudar” as páginas que cumprem determinadas condições no seu “Meta title”.

A otimização das tags de título é crucial para aumentar a visibilidade nas páginas de resultados de pesquisa do Google (SERP). Uma tag de título bem otimizada pode elevar substancialmente as classificações de um site, mas deve ficar claro que apenas otimizar este aspeto não irá melhorar o seu posicionamento geral.

Existem diversas abordagens para otimizar uma tag de título. Uma delas é garantir que se mantenham dentro do limite de 55 a 60 caracteres, o que o autor do artigo considera um pouco ultrapassado atualmente. Outros especialistas em SEO acham aceitável que as tags de título tenham até 70 caracteres.

Há também a preocupação de que títulos truncados nos resultados de pesquisa ou reescritos pelo Google possam impactar negativamente o desempenho orgânico e a taxa de cliques. O conteúdo do artigo reflecte um estudo empírico. Foram analisadas 645 etiquetas de título e o seu posicionamento no Google.

Tecnicamente, a quantidade de caracteres que o Google pode exibir nas SERP é medida em pixels. Quando uma tag de título é muito longa, o Google pode truncá-la.

Em agosto de 2021, o Google lançou uma atualização voltada para as tags de título. Esta atualização permite que o Google mostre aos usuários nas SERP um título diferente do que está disponível na tag de título HTML.

As tags de título HTML podem ser reescritas nas SERP por serem longas demais, cheias de palavras-chave, ou por falta ou repetição de conteúdo (por exemplo, páginas iniciais podem ser nomeadas “Home”). Essa atualização causou alvoroço na comunidade de SEO, com muitos relatando incidentes onde a reescritura do título não saiu como esperado.

A atualização mostrou que o Google prefere exibir títulos mais curtos nas SERP, o que levou a uma confusão sobre se os títulos exibidos nas SERP, que podem ser cortados ou reescritos, são usados para classificação em vez do título HTML.

No entanto, se as tags de título mais longas são cortadas ou reescritas nas SERP, isso não necessariamente afeta as classificações. O Google ainda usa a tag de título HTML para considerações de classificação, e não os títulos exibidos nas SERP.

Portanto, se escrevermos títulos mais curtos, impediremos o Google de os reescrever?

Em geral, o Google encurtou ainda mais os títulos nos SERPs em 2024, em comparação com 2022. De acordo com o estudo de Sara Taher, o Google geralmente encurtou ainda mais os títulos nas SERPs em 2024 em comparação com 2022. Portanto, se escrevermos títulos mais curtos, impediremos o Google de os reescrever? A resposta é NÃO. O Google continuará a fazê-lo se o considerar útil para o utilizador.

As conclusões do estudo foram as seguintes:

  • Os títulos mais curtos podem ser reescritos.
  • Títulos mais curtos ainda podem ser cortados.
  • Os títulos mais curtos podem ter o nome da sua marca removido.

Encurtar as etiquetas de título não tem qualquer valor real. Optimize-as bem e tire partido de todo o espaço disponível. As etiquetas de título são dos poucos activos que têm um grande impacto nas classificações e sobre os quais ainda temos algum controlo. Vamos tirar o melhor partido deles, mesmo que exceda o limite de 60-70 caracteres.

Olá 👋
É um prazer conhecermo-nos.

Receba os nossos melhores artigos sobre ecommerce e marketing digital em Portugal

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

João Gomes

Jornalista. Desde muito jovem, apaixonado pelo mundo do marketing e dos negócios na Internet. Fã de ecommerce e wordpress. Editor do Portugalecommerce.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *